Artigos
28
Set.

Artigo DH Set

Post in Artigos

Corrigir a Miopia a dormir
Sim, é possível ver bem sem óculos, sem lentes de contacto tradicionais e sem cirurgia!

Para quem é miope, que vê mal ao longe, a correção visual através de óculos ou lentes de contacto é indispensável. Ainda há quem adote tratamentos mais invasivos para corrigir a miopia através de cirurgia.

E se lhe dissesse que já é possível abdicar disso tudo?
Falo de um tratamento que utiliza lentes de contato especiais que remodelam a córnea durante o sono, com resultados seguros e expressivos em poucas semanas.

 

Óculos, lentes de contato tradicionais e cirurgias refrativas são as correções mais comuns indicadas nos consultórios oftalmológicos para o tratamento da miopia e astigmatismo. Mas uma técnica que permite a correção visual enquanto o paciente dorme, começa a ganhar espaço em todo o mundo.
Estamos a falar da Ortoqueratologia, um conceito que existe há décadas nos Estados Unidos e na Europa, capaz de reduzir erros refrativos (miopia e astigamatismo) através de um processo de aplanação da córnea.
A partir da evolução dos materiais das lentes de contato, este tratamento surge como nova opção para melhorar a qualidade de vida de milhares de pacientes.

A Ortoqueratologia utiliza lentes de contato rígidas, cujo seu desenho geométrico é concebido para remodelar a córnea e com isso, reduzir ou eliminar defeitos da visão, como a miopia e o astigmatismo. Usadas enquanto o paciente dorme, as lentes de contacto ortoqueratológicas atuam moldando o epitélio (camada mais superficial da córnea), que possui propriedades elásticas. Se aplicado por um profissional habilitado e certificado, o método é totalmente seguro e confortável, conseguindo promover uma redução máxima de 6 dioptrias de miopia e até 1,75 dioptrias de astigmatismo.

Neste tratamento, são utilizadas lentes de contacto com um índice elevado de transmissibilidade ao oxigénio, aprovadas pela FDA (Food and Drug Administration), entidade que também regulariza e controla dispositivos médicos.

Uma boa parte dos pacientes têm resultados muito expressivos numa semana, mas também é comum aperceberem-se de uma melhor visão depois de poucos dias do início do tratamento.
No entanto, é necessário o acompanhamento muito próximo do profissional que iniciou o tratamento, com visitas periódicas para avaliação.

Com adaptação das lentes ortoqueratológicas, o paciente pode ter uma boa visão durante o dia, sem ajuda dos óculos ou lentes de contato. Pacientes com miopia ou astigmatismo colocam as lentes durante a noite e retiram ao levantar. O resultado é uma visão nítida durante o dia sem o recurso a óculos ou lentes de contato. Mas se o paciente deixar de usar as lentes à noite, a visão volta a ficar como antes do início da terapia, ou seja, é um método totalmente reversível! Esta é uma das grandes vantagens comparando com o método cirúrgico, pois para além de ser um método não evasivo, os pacientes poderão abandonar o tratamento sem sequelas.

As lentes devem ser trocadas uma vez por ano e estudos clínicos não registaram quaisquer complicações, sendo completamente seguras e eficazes, desde que aplicadas por um profissional habilitado.

Serei um(a) bom(a) candidato(a)?

Antes do início deste tratamento, é realizada uma avaliação rigorosa do paciente pelo profissional da visão. É determinada a curvatura corneal por meio de um equipamento (topógrafo corneal). Não só a graduação que o paciente apresenta, mas o topógrafo também verifica se tem ou não a indicação para este tratamento. Este equipamento é essencial no acompanhamento da evolução do paciente.
O tratamento não é aconselhável para quem sofre de secura ocular extrema ou outra patologia oftalmológica grave. Este tratamento é indicado para pacientes com até 6 dioptrias de miopia ou 1,75 dioptrias de astigmatismo.

Em resumo, sim é possível corrigir a Miopia durante a noite para ver bem durante o dia e abdicar de óculos de correção ou lentes de contacto.  Mas não se esqueça dos óculos de sol, mesmo no Inverno.


   Tiago Parente
   Optometrista da Parente Óptica Médica

 

Lido 320 vezes

Artigos